Orlando, Virginia Woolf

Opinião:
Orlando é uma obra extraordinária de Virgínia Woolf. Extraordinária porque o personagem principal – Orlando – é imortal e sendo imortal avança no tempo dando-nos conta das mudanças que houve entre os sécs. XVI e  XX. Mudanças a nível de natureza, da literatura e inevitavelmente da própria sociedade.
O mais interessante é que as visões que são abordadas são do ponto de vista masculino e feminino, pois a certa altura Orlando dorme e transforma-se em mulher - Lady Orlando. Esta mudança de sexo é vista com a maior das naturalidades, tanto por ele como por quem o rodeia.
Lady Orlando tem a força e a coragem de um homem e a graça e a sensualidade de uma mulher. Orlando, reflecte sobre o seu novo “eu”, sobre a sua nova condição e aqui há toda uma reflexão sobre a condição da mulher na sociedade.
No início, Orlando é um jovem fidalgo que vive os seus amores e desamores intensamente, incluindo o seu amor pela literatura. Este último, visto como um mal do qual muita gente da sua hierarquia se livrou para ter tempo de correr, cavalgar, divertir-se.
A leitura era vista como uma doença que atingindo o seu auge levava à escrita – uma desgraça para um fidalgo!
Com o avançar do tempo, Orlando vai vivendo várias vidas, várias épocas: o rapaz poeta; o cortesão; o embaixador; a cigana; a grande dama; a eremita; a profeta das letras… até que no fim da narrativa Lady Orlando reflecte “estou farta deste “eu” preciso de outro” e continua a perdurar no tempo após 350 anos. A história termina no ano de 1923 com Orlando a reclamar um novo eu…
Esta é uma excelente leitura em que há um apelo constante à reflexão no que diz respeito às diferentes épocas abordadas.
A referência à literatura é uma constante! É de salientar que o livro de Orlando – O Carvalho – acompanha-o durante os diferentes séculos. Sendo numa época um fracasso, alvo de crítica destrutiva e detentor de sucesso sem igual numa outra época.
Excelente!

6 comentários:

    Este foi um livro que não gostei e desde então não voltei a pegar em Virgínia Woolf. Penso que é demasiado complexo e como tal não entendi bem a mensagem... o que claro, fez com que não gostasse.

     

    Ana Luisa Alves,
    Aconteceu-me isso com uma outra obra da autora "Mrs Dalloway".
    Às vezes não é o momento certo para determinadas leituras, outras vezes não gostamos mesmo :)
    Abraço

     

    Já me conseguiste cativar com esta tua opinião! Vou procurá-lo de certeza, pois já em outras conversas me tinhas convencido a lê-lo. Gostei bastante da história deste "Orlando".

     

    Paula,
    pela tua opinião parece-me muito interessante! Nunca li Virgínia Wolf mas vou investigar.
    Obrigado. :)

     

    Tons de Azul,
    Sei que vais gostar, pelo que conheço dos teus gostos literários :)

    André Nuno,
    Esta para mim foi uma excelente leitura, nada a apontar de negativo.

     
    On 06 outubro, 2012 Anónimo disse...

    Querida Paula,
    Seu blog é como uma revelação, nunca um blog em que abordace os livros tão bem. Você está de parabens minha querida. Estou lendo "os anos" da dama woolf, que venha ser a minha escritora britanica favorita; ainda não li "orlando" mas a sua descrição pareceu-me que o orlando seria a propria lady virginia. Amei de fato. E "Mrs. Dalloway", para mim, não fora de ficil de entender o que temos que aprender nos livros dela é que tudo mundo - os personagens - muda, o que não muda seria suas emoçoes.
    PS: se quiser responder-me esse é meu e-mail: italot_rodrigues@hotmail.com

     

Blogger Templates by Blog Forum