O Sentido do Fim, Julian Barnes

Opinião:
Esta obra, tem o seu início com uma recordação da juventude do nosso personagem principal. Uma lembrança que o acompanha durante toda a sua vida. O livro é composto por duas partes. A primeira, que nos dá a conhecer os seus anos de escola (liceu) e dos seus três amigos, assim como de um amor conturbado. Todo o relato, é recheado de pensamentos e acontecimentos fortes que têm por objectivo fazer com que o leitor compreenda a segunda parte da obra, na qual é feita uma reflexão sobre a sua juventude. Barnes mostra-nos como as nossas acções nos acompanham para toda a vida. E vai sempre fazendo paralelismos entre passado e presente...
É de realçar a escrita do autor, uma escrita fluída e simples, mas muito profunda na demonstração dos sentimentos. No entanto, tendo esta obra recebido o Booker Prize 2011 confesso que esperava muito mais. Gostei muito da leitura, porém as minhas expectativas eram altas e não foram atingidas!
Sinopse:
Tony Webster e a sua clique só conheceram Adrian Finn no fim do liceu. Famintos de livros e de sexo, e sem namoradas, viviam esses dias em conjunto, trocando afetações, piadas privativas, rumores, e mordacidades de todo o género. Talvez Adrian fosse mais sério do que os outros, e seria certamente mais inteligente. Mesmo assim juraram que ficariam amigos para o resto da vida. Tony está agora reformado. Teve uma carreira, um casamento e um divórcio amigável. E nunca fez nada para magoar ninguém - ou pelo menos acredita nisso. Mas a chegada da carta de uma advogada desencadeia uma série de surpresas e acontecimentos inesperados que lhe vão mostrar que a memória é afinal uma coisa altamente imperfeita O Sentido do Fim, o mais recente romance de Julian Barnes e livro recém-galardoado com o Man Booker Prize 2011 - é a história de um homem que se confronta com o seu passado mutável. Com marcas da literatura inglesa clássica - na apreciação do júri que o distinguiu - O Sentido do Fim constrói, com grande delicadeza e precisão, uma trama tensa, forte, e revela a mestria de um dos maiores escritores dos nossos tempos.

Julian Barnes nasceu em Leicester em 1946. É autor de mais de uma dezena de livros, alguns publicados pela Quetzal como O Papagaio de Flaubert e Nada a Temer. A sua obra está traduzida em trinta idiomas, e três dos seus romances foram finalistas do Booker Prize. Barnes foi o único escritor galardoado com o Prémio Medicis e o Prémio Femina (com O Papagaio de Flaubert). Foi ainda distinguido com o Prémio do Estado da Áustria para escritores estrangeiros e, mais recentemente, com o David Cohen Prize. O Sentido do Fim, o seu mais recente romance agora publicado pela Quetzal, acaba de receber o Man Booker Prize 2011.Julian Barnes foi casado com a agente literária Pat Kavanagh até à morte desta, em 2008, e vive em Londres.

5 comentários:

    Eu também esperava muito mais desta leitura. Concordo contigo quanto ao estilo narrativo do autor, mas não deixa de ser una leitura densa, contemplativa e algo monótona. Além disso, os personagens são incapazes de gerar empatia com o leitor. Eu diria que é um romance apto unicamente para os apreciadores de leituras introspetivas. Na próxima semana, publico a minha opinião!

     

    Offuscatio,
    Eu gostei muito de ler este livro, mas parti com as expectativas altíssimas uma vez que ganhou o booker prize 2011, de 0 a 10 atribui um 8.5 e tu?

     

    Eu atribui-lhe 4 de 5 estrelas no Goodreaders, devido ao inquietante argumento que apresenta. No entanto, tal como tu, tinha as expectativas muito elevadas e vi-me um pouco defraudada. No entanto é inevitável (penso eu) que não chegues ao final questionando a própria veracidade das tuas recordações.

     
    On 06 maio, 2012 Anónimo disse...

    Vou agora entrar na 2ª parte. A mim o livro está a fazer-me pensar. Muito bom!

     

    É sem dúvida uma excelente obra. Com este livro Barnes prova que um livro pequeno pode ser uma grande obra

     

Blogger Templates by Blog Forum