Papá, tu és o Máximo!, com textos de Myriam Sayalero e ilustrações de Marisa Morea, é uma divertida e ternurenta história. Uma homenagem a todos os pais que, mesmo não sendo perfeitos, são incríveis e inspiradores. No final do livro, os mais pequenos encontram uma atividade de trabalhos manuais para fazerem um presente especial para o pai.




Sinopse:
Hoje é sábado e o Papá diz que quer aproveitar o dia, seja lá o que isso for! A Matilde e o Rodrigo insistem em saber quais são os planos dele, mas acabam por desistir de perguntar; é que o Papá quer fazer-lhes uma surpresa!
O Papá diz que tem tudo organizado para passarem um dia especial, mas... será que tem mesmo?!
Bom, uma coisa é certa: apesar de todos os imprevistos, vai ser uma aventura fantástica!

Um livro inspirador, mágico e inesquecível!

Papá, tu és o Máximo! é a prenda ideal para as crianças oferecerem ao melhor pai do mundo, nesta data tão especial. E depois, de livro na mão, fortalecerem laços e partilharem momentos de boa disposição.

 Sinopse:
«Aqui estou.» Assim responde Abraão quando Deus lhe ordena que sacrifique Isaac. Mas como é possível Abraão proteger o filho e, ao mesmo tempo, aceder às ordens de Deus? Como podemos nós no mundo de hoje, cumprir os deveres irreconciliáveis de sermos pais, maridos, filhos, mães, mulheres e permanecer fiéis a nós próprios? Aqui Estou é a história de uma família no limiar da crise.

Jacob Bloch vive em Washington, é escritor, descendente de sobreviventes do Holocausto, casado e pai de três filhos. Apesar dos elogios da crítica, os seus livros são um fracasso de vendas e a sua carreira como escritor começa a ser questionada. Mas há algo mais fundamental em causa: o casamento com Julia e aquilo a quer Jacob chama casa.

Ao mesmo tempo que o drama do divórcio iminente se desenrola e alimenta uma crise crónica de identidade, um tremendo terramoto destrói Israel, agravando não só uma situação política delicada como, também, o problema de Jacob e da família. A que lugar pertencemos nós, exactamente? E como podemos regressar a uma casa em escombros?

Safran Foer mergulha o leitor numa reflexão sobre amor, vida, morte, intimidade, família e tradição, a um tempo violentamente universal e absolutamente universal. Brilhante, feroz, comovente, hilariante, Aqui estou é a obra mais inspirada de um dos grandes escritores do nosso tempo.


Críticas:
«Se alguém perguntar que autor deve ler para descobrir ou recuperar a alegria da leitura, terei de falar de Jonathan Safran Foer. Os seus livros são um prodígio de construção narrativa, de inteligência e de imaginação. Os livros de Jonathan são um mergulho na escuridão mas também no esplendor da natureza humana. Jonathan tem sido, nos últimos anos, a minha leitura preferida.»
José Eduardo Agualusa

«Jonathan Safran Foer é o mais original dos escritores americanos da sua geração. Este novo romance promete maravilhas.»
João Tordo

«O melhor e o mais cáustico romance de Jonathan Safran Foer, tão cheio de dor e arrependimento que chegamos a ter dificuldade em conter-nos... Intensidade a cada página.»
The New York Times

«É impossível ler Aqui Estou sem reexaminarmos a nossa própria família e o lugar que ocupamos nela.»
Time

«Brilhante, sempre original.»
The New York Times Book Review

«Aqui Estou é glorioso e intenso. E é também, provavelmente, o romance literário mais divertido que alguma vez li.»
The Times

«Safran Foer é mestre incontestado do seu universo ficional.»
Times Literary Supplement

«Aqui Estou confirma Jonathan Safran Foer como um dos quatro maiores romancistas americanos desta geração.»
Nylon

«Com este romance, Foer dá um grande passo para competir por um lugar na história da literatura... Uma atuação empolgante e magistral cuaj energia e engenho nunca esmorecem.»
Prospect

«A história polifónica, e com audazes traços de comédia, sobre os dilemas de uma família, confronta de forma astuta e sincera a capacidade da Humanidade para o ridículo e o profundo, para a crueldade e para o amor.»
Booklist
Sherlock Holmes junta-se aos Livros Loucos da Guerra e Paz



É uma aquisição de luxo: Os Livros Estão Loucos da Guerra e Paz acabam de garantir a presença de Sherlock Holmes entre as estrelas que compõem o naipe de autores e personagens da sua colecção. O Cão dos Baskervilles é o novo título da colecção juvenil mais louca de sempre, que conta já com cinco livros completamente alucinados e irreverentes nas livrarias: Robinson Crusoé, Romeu e Julieta, Alice no País das Maravilhas, Frankenstein e, a partir de 20 de Fevereiro, o Cão dos Baskervilles, de Arthur Conan Doyle, com adaptação de Elizabete Agostinho.

Escritos para ler numa hora o que antes se lia num dia, os livros estão loucos porque as letras crescem e encolhem, saem das páginas e giram como num rodopio, voam ao sabor da imaginação. E é isso mesmo que acontece também neste novo livro.

Sherlock Holmes, o mais recente detective de todos os tempos, tem um mistério tremendo para resolver. Reza a lenda que a charneca junto à mansão dos Baskervilles é amaldiçoada por um cão gigante e diabólico, maior do que qualquer cão alguma vez visto, que lança fogo pela boca. A maldição castiga a família Baskervilles há gerações.

Entretanto, Charles Baskervilles aparece morto na charneca, o medo estampado no rosto, pegadas junto ao corpo. Quem o matou? Será obra do demónio ou de homens de carne e osso?


Com o seu amigo inseparável, o doutor Watson, Sherlock Holmes percorre a charneca, interroga, investiga e prepara-se para enfrentar os poderes do mal. O perigo espreita por todo o lado nesta incrível aventura. Atreves-te a seguir esta história?

Sinopse:

Uma mistura violenta e frenética de William Gibson, cinema japonês, policial negro e Blade Runner. 

No século XXV é difícil morrer para sempre. Os humanos têm um stack implantado nos corpos onde a sua consciência é armazenada, podendo fazer download para um novo corpo sempre que necessário. Quando o multimilionário Laurens Bancroft contrata Takeshi Kovacs para descobrir quem assassinou o seu último corpo, o caso parece bicudo: a polícia diz que foi suicídio, Bancroft tem a certeza que não.

A consciência de Kovacs, cujo último corpo acabara de ter uma morte violenta, é inserida no corpo de um polícia para investigar o caso. E, para o resolver, Kovacs terá de destruir inimigos do passado e lidar com a atracção por Kristin Ortega, a mulher que amava o corpo onde ele agora se encontra.

Num mundo onde a tecnologia oferece o que a religião apenas promete, onde os interrogatórios em realidade virtual significam que se pode ser torturado até à morte e depois recomeçar de novo, e onde existe um mercado negro de corpos, Kovacs sabe que a última bala que lhe desfez o peito é apenas o começo dos seus problemas…

Críticas:
"A união perfeita de cyberpunk e histórias de detectives num romance fabuloso."
-London Times


"Uma ideia deslumbrante... tão intrigante quando revolucionária, que não nos larga até à última página."
-Peter Hamilton

"Quem não gosta de ficção científia vai passar a gostar."
-Amazon.com.uk

"Misture um excelente policial com um futuro de cortar a respiração; adicione personagens cativantes, diálogos inteligentes e agite com muita violência. depois sirva frio, como a vingança."
-Ken Macleod
Para alguém muito especial: de um filho, para o seu pai


Sinopse:
Este é o livro que qualquer filho quer dar ao seu pai: Não Me Esqueço, Pai! A prenda que lhe podem dar no dia de aniversário, no dia do Pai, mas também em todo e qualquer dia. É um livro íntimo, com 50 situações que qualquer rapaz já viveu com o seu pai. É um livro de evocação sentimental, profunda e ternamente nostálgico. Bonito e discreto como o amor que junta pai e filho. Começa assim:

«Pai, ofereço-te este livro. É um grão de areia comparado com a vida que tu me ofereceste até hoje. Cuidaste de mim, alimentaste-me, ensinaste-me, levaste-me pela mão, carregaste-me às cavalitas. Bem sei que cresci e que já não dizes aos teus amigos “o miúdo”, quando falas de mim. “O miúdo” é coisa que já só dizes à mãe, em segredo e baixinho. Com este livro, venho eu dizer-te como, ao pé de ti, me sinto e me quero sentir para toda a vida “o miúdo”.
Quando sou “o miúdo”, o teu miúdo, fico de peito cheio, pai. Tomam conta de mim todas as memórias que, desde que me lembro, tenho de ti. E eu lembro-me de quase tudo, de me pegares ao colo, de me levantares no ar, de me fazeres cócegas, mas também de me ensinares a ler, de me contares histórias, de me levares a ver o mar, florestas, rios, de me teres ensinado a abrir o motor de um carro, a mudar um pneu, a fazer a barba, a fazer o nó de uma gravata e de, qual gravata, qual nada, me levares a ver a bola e beberes comigo umas valentes imperiais como se fossemos os melhores amigos.
És o meu melhor amigo. Ensinaste-me o caminho da razão, da sensatez, ensinaste-me a ter orgulho em fazer o bem. Obrigado, pai, por, como num filme, me teres posto na vida do lado dos bons.»

Às palavras juntam-se 50 fotografias num tom sépia, iguais às fotografias de um velho álbum de família. 


Este mês de Fevereiro e com o apoio da Editorial Presença, temos um exemplar de "O Diário Secreto de Hendrick Groen aos 83 anos e ¼" de Hendrik Groen
 para oferecer em passatempo aqui na rubrica de Fevereiro




Sinopse:
Hendrik Groen pode estar velho, mas ainda muito longe de estar morto, e espera não ser enterrado tão cedo.
Os seus passeios são cada vez mais curtos porque as pernas começam a dar de si, e as suas idas ao médico são agora mais frequentes do que ele gostaria. Hendrik está velho, mas quem disse que tem de viver confinado ao lar para idosos perto de Amesterdão esperando que a morte chegue? Quando o Ano Novo começa, decide escrever o seu diário...

O Diário Secreto de Hendrick Groen aos 83 anos e ¼ é um romance inspirador que se tornou um fenómeno literário em todo o mundo. Ao chegar à última página, será difícil ao leitor, de qualquer idade, despedir-se de um personagem tão encantador e divertido.


Regras da rubrica:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
O envio dos livros é feito apenas para Portugal Continental e Ilhas.

Por cá estamos a ler...

E vocês, o que andam a ler??




Sinopse:
Agatha Christie encontra-se em Londres para reunir com o seu agente literário. Está perturbada ao subir para o comboio, pois descobriu recentemente que o marido lhe é infiel. Um toque nas costas fá-la desequilibrar-se, mas é rapidamente ajudada por alguém. Porém, não se trata de um anjo da guarda mas sim de um chantagista manipulador da pior espécie... e os acontecimentos que se seguem são verdadeiramente aterradores. Escrever sobre homicídios é bem diferente de cometê-los, e Agatha Christie terá de recorrer ao seu aguçado engenho para impedir que o seu adversário consiga o que pretende: que ela cometa um crime por ele.

No dia 3 de dezembro de 1926, Agatha Christie desapareceu, reaparecendo apenas dez dias depois. A Rainha do Crime recusou falar sobre isso e o mistério nunca foi desvendado. Até aos dias de hoje ninguém sabe o que – ou melhor, quem – terá sido a causa do seu desaparecimento...

Cruzando ficção e realidade, Andrew Wilson inspirou-se nesse enigma da vida real e transformou-o num empolgante e negro policial. Em Talento Para Matar, Agatha Christie passa de autora a protagonista de um mistério que em nada fica atrás da sua melhor ficção.


Sinopse:
O Meu PAI é o melhor.
Tenho a certeza que, para ti, o Teu PAI também é o melhor.
Para todos nós, o Nosso PAI é único, especial e o mais querido de todos. 
Quer seja bombeiro ou domador, futebolista ou agricultor, banqueiro ou professor, informático ou pintor, o PAI é aquele que está sempre presente, que tem uma solução para tudo, uma brincadeira para nos animar e uma palavra amiga com que nos brindar.

PAI, QUERIDO PAI é uma homenagem ao meu, ao teu e a TODOS os PAIS deste mundo.
O Filho de Noé é um romance curto e belo, um estilo a que Eric-Emmanuel Schmitt já nos habituou.


Sinopse:
1942. Auge da Segunda Guerra Mundial. As rusgas começam. O pequeno Joseph, de sete anos, judeu, é afastado dos pais para conseguir sobreviver. Aprende a ocultar o seu nome, a sua história, os seus sentimentos. Escondido num orfanato católico, vai crescer acompanhado por um sacerdote, o padre Pons, um homem simples que se empenhará em manter viva a cultura judaica e em transmiti-la às crianças. Num universo à primeira vista cristão, o padre Pons instalou uma sinagoga secreta. Tal como Noé, o padre decidiu salvar a humanidade. Apesar daquilo que é. Uma vez restabelecida a paz, o que irá ser destas crianças com esta dupla identidade.


Para mais informações procurar aqui.



Os Meninos que Enganavam os Nazis é uma história verídica. A luta pela sobrevivência contada por um menino judeu na França ocupada pelos nazis. 


Sinopse:
1941, Paris é uma cidade ocupada pelos exércitos nazis. O poder de Hitler controla a França; as perseguições e o medo pairam por todo o país. Joffo, um respeitado barbeiro judeu, decide dispersar a sua família de forma a evitar o destino cruel que os espera a todos. Depois da fuga dos filhos mais velhos, perante o perigo sempre à espreita, Joseph, de apenas dez anos, e Maurice, de doze, deixam também a capital, entregues a si próprios, para tentarem escapar à brutalidade e à morte. Uma impressionante história autobiográfica, narrada pelo irmão mais novo, cuja espontaneidade, ternura e humor comprovam o triunfo da amizade, da generosidade, do espírito de entreajuda.


Opinião:
Nesta obra temos o relato das memórias de Joseph Joffo (tinha ele dez anos) durante o período da ocupação nazi em França. Joseph vive em Paris e tem uma infância feliz, até ao dia que é obrigado a usar uma estrela amarela no peito do casaco e na escola é mal tratado por alguns colegas, pelo simples facto de ser judeu. Até à data Joseph nem sabia o que era um Judeu. Foi no decorrer destes acontecimentos, sentindo que os filhos corriam perigo, que os pais resolveram fazer a mala de Joseph e do seu irmão Maurice (de 12 anos) e se separaram. Sozinhos e com algum dinheiro no bolso, estes dois meninos foram se tornando cada vez mais perspicazes e foram ultrapassando os vários obstáculos até chegarem a Nice, onde se encontravam os seus irmãos mais velhos.  
Mas a história não termina aqui, muito ainda tiveram de passar para sobreviver.
Durante todo o percurso que fizeram e nas mais diversas situações até à libertação de França, conheceram diversas pessoas (nazis e não só), desde as que os desconheciam e sem os meninos pedirem os ajudavam, como passaram por pessoas que mesmo não os conhecendo odiavam-nos a eles e a todos os outros, eram pessoas que só tinham ódio no coração. O pequeno Joseph e o seu irmão Maurice perderam a sua infância e tiveram de rapidamente crescer e serem perspicazes e adaptar-se às circunstâncias, tiveram de negar até ao fim as suas origens, para sobreviverem.
Este livro lê-se em três tempos, tal é a empolgação que ficamos por saber o que vai acontecer de seguida. Tem momentos que nos faz rir, mas tem muitos em que ficamos de coração apertado e lágrima no olho. Uma obra, em que os acontecimentos dessa época são vistos e descritos, pelos olhos inocentes e o coração puro de uma criança. Um livro de uma grande beleza.

Retiro um parágrafo do texto que me tocou bastante… Porque as crianças são mais fortes do que muitas vezes nós adultos pensamos e conseguem lutar até ao fim, mas nunca ninguém lhes deveria tirar o que têm de mais precioso, a alegria de viver a sua infância, na sua inocência e ao lado da sua família.

"Até agora penso ter acreditado sair da guerra ileso, mas poderei estar muito enganado. Não me tiraram a vida, mas foi pior. Roubaram-me a infância. Mataram dentro de mim o menino que eu podia ter sido... Ter-me-ei tornado demasiado áspero, demasiado cruel. Quando prenderam o meu pai, eu nem sequer chorei. Um ano antes não teria aguentado."


Para mais informações passem por aqui.


Com textos de Julian Gough (autor do final de Minecraft, o jogo de computador mais famoso de sempre e com ilustrações do multipremiado Jim Field, as aventuras de O Coelho e o Urso vão encantar leitores de todas as idades. Mas Que Coelho Esquisito! e O Pica-Pau Barulhento! são dois livros hilariantes e ternurentos, sobre dois amigos improváveis: o Coelho mal-humorado e refilão e o Urso doce e bondoso. Duas histórias que promovem valores fundamentais como a autoestima, a amizade e o positivismo.

Sinopse:
O Coelho e o Urso - Mas Que Coelho Esquisito!
O Urso nunca fez um boneco de neve. O Coelho muito menos, mas ele é tão teimoso que quer, porque quer, fazer um boneco maior e melhor que o do Urso. Só que o Coelho não contava com a chegada de uma avalancha nem com o Lobo esfomeado a correr na sua direção. O Coelho vai perceber que não ganha nada em ser maldisposto e que, para o bem e para o mal, não há nada como ter os amigos por perto.

O Coelho e o Urso : O Pica-pau Barulhento!
No topo da grande árvore, um Pica-pau constrói o seu ninho. Só que ele é muito barulhento e está a deixar o Coelho à beira de um ataque de nervos. O Urso percebe que, se não fizer alguma coisa, o seu amigo orelhudo vai enlouquecer! Então, mesmo com o Coelho a resmungar, o Urso leva-o até junto do Pica-pau. E é incrível como tudo se torna mais sereno quando vemos o mundo de uma perspectiva diferente.

Críticas:
«Livros simplesmente encantadores!» - The Guardian
«Um humor delicioso que nos cativa logo na primeira página!» - The Guardian
«Ninguém consegue não gostar destas histórias maravilhosamente ilustradas.» - Sunday Business Post
«É uma leitura emocionante, muito educacional e, sobretudo, divertida, muito divertida» - Waterstones

Autores:
Julian Gough é escritor, dramaturgo, poeta, músico e guionista. Nasceu em Londres, cresceu numa cidade irlandesa e agora vive em Berlim. Foi ele quem escreveu o final para o Minecraft, o jogo de computador mais famoso de sempre. Adora beber café! Descobre mais em: http://www.juliangough.com/

Jim Field é um ilustrador multipremiado. É designer de personagens animadas e diretor de animação. Trabalhou em Londres durante muito tempo e, agora, vive em Paris. Adora tocar guitarra e beber café. Descobre mais em: http://www.jimfield.co.uk/


Sinopse:
Ambientado entre Rabat e Roma, A Filha coloca-nos perante uma perturbante história familiar, em que a relação entre Giorgio e a sua filha Maria oculta um segredo inconfessável. A narrar tudo na primeira pessoa está, porém, a mulher e mãe Silvia, cuja paixão pelo marido a torna incapaz de reconhecer a doença de que este sofre.

Enquanto observamos Maria, que não dorme durante a noite e renuncia à escola e às amizades, revoltar-se continuamente contra a mãe e crescer dentro de um ambiente de dor e de suspeita, vamos pouco a pouco descobrindo a subtil trama psicológica dos acontecimentos e compreendendo a culposa incapacidade dos adultos em defender as fragilidades e as fraquezas dos filhos.

Quando, após a misteriosa morte de Giorgio, mãe e filha se mudam para Roma, Silvia apaixona-se por Antonio, e o almoço que organiza para apresentar o novo companheiro à filha despertará antigos dramas: Será Maria de facto inocente, será realmente a vítima da relação com o seu pai? Então, porque tenta seduzir Antonio sob os olhares humilhados da mãe? E seria a própria Silvia verdadeiramente desconhecedora do que Giorgio impunha à filha?

Um livro que põe em causa todas as nossas certezas: as vítimas são ao mesmo tempo algozes e os inocentes são também culpados.


Autor:
Anna Giurickovic Dato nasceu em Catânia (Sicília), em 1989, e vive em Roma. Em 2012, o seu conto Polimena, Polimena obteve o primeiro lugar no concurso Io, Massenzio no decorrer do Festival Internacional das Literaturas de Roma. 
Em 2013, foi finalista do Prémio Chiara Giovani com o conto Ogni pezzo di sé. A Filha, selecionado para o Prémio Strega e muito aclamado pela crítica e pelos leitores, é o seu primeiro romance.

Yoga lúdico para crianças, uma forma divertida de crescer saudável e feliz! Para praticar em casa ou na escola! A iniciação nesta disciplina ancestral nunca foi tão fácil e divertida.


Sinopse:
Capacidade de concentração, crescimento saudável, autoconfiança, imaginação e serenidade são apenas alguns dos benefícios para as crianças que praticam yoga desde tenra idade! Este livro, desenvolvido em colaboração com a Associação Italiana de Yoga para Crianças, explica passo a passo várias posições inspiradas em animais que as crianças adoram. A iniciação...
Capacidade de concentração, crescimento saudável, autoconfiança, imaginação e serenidade são apenas alguns dos benefícios para as crianças que praticam yoga desde tenra idade!
Este livro, desenvolvido em colaboração com a Associação Italiana de Yoga para Crianças, explica passo a passo várias posições inspiradas em animais que as crianças adoram. A iniciação nesta disciplina ancestral nunca foi tão fácil e divertida.
Yoga lúdico uma ocasião fantástica para a interacção entre pais e filhos, professores e alunos… de forma descontraída e divertida. Uma ajuda fácil para a iniciação nesta disciplina ancestral.

yoga é reconhecido como uma práctica ao alcance de todos independentemente da idade. Este é um livro muito prático para quem quer iniciar ou ter o primeiro contacto com o yoga para crianças.
Além de prático, atraente e muito apelativo, tanto para crianças como para adultos, sobre uma actividade cada vez mais practicada em Portugal.

Um livro com ilustrações artísticas e cheias de cor de Anna Láng muito apelativas para os mais jovens.


Idade Recomendada: +7anos


QUE SUSTOOOOOOOOOOOOOO!!!



Ben Sherwood

Ben Sherwood nasceu a 12 de Fevereiro de 1964, nos Estados Unidos da América. 
É o autor do romance “O Espírito do Amor”, que rapidamente conquistou o público, a crítica e alguns dos nomes mais sonantes da literatura actual, entre os quais Nicholas Sparks, Joanne Harris, Adriana Trigiani e James Patterson, que não lhe pouparam elogios. Antes de ingressar no universo das letras, Sherwood destacou-se como jornalista, tendo sido prestigiado com a atribuição de alguns prémios nessa área. 
As suas obras, que invariavelmente se tornam bestsellers, estão traduzidas em quinze línguas.

Este mês de Fevereiro e com o apoio da Editorial Presença, temos um exemplar de "O Diário Secreto de Hendrick Groen aos 83 anos e ¼" de Hendrik Groen
 para oferecer em passatempo aqui na rubrica de Fevereiro




Sinopse:
Hendrik Groen pode estar velho, mas ainda muito longe de estar morto, e espera não ser enterrado tão cedo.
Os seus passeios são cada vez mais curtos porque as pernas começam a dar de si, e as suas idas ao médico são agora mais frequentes do que ele gostaria. Hendrik está velho, mas quem disse que tem de viver confinado ao lar para idosos perto de Amesterdão esperando que a morte chegue? Quando o Ano Novo começa, decide escrever o seu diário...

O Diário Secreto de Hendrick Groen aos 83 anos e ¼ é um romance inspirador que se tornou um fenómeno literário em todo o mundo. Ao chegar à última página, será difícil ao leitor, de qualquer idade, despedir-se de um personagem tão encantador e divertido.


Regras da rubrica:
A cada participante é atribuído um ou vários números dependendo do nº de segundas que participam. Por exemplo, se um participante comentar nas 4 segundas, é atribuído a este participante 4 números, se participar apenas numa segunda, só será atribuído um nº.
São os números que vão a sorteio.
O vencedor, será anunciado sempre na segunda-feira do mês seguinte. 
Os participantes têm de estar atentos, para que depois possam enviar a sua morada para o mail do viajar. Se não o fizerem no prazo máximo de um mês, deixam de ter direito ao livro ganho.
O envio dos livros é feito apenas para Portugal Continental e Ilhas.

Por cá estamos a ler...

E vocês, o que andam a ler??


Infelizmente mais uma vez a vencedora deste passatempo não nos contactou, sendo assim fizemos um novo sorteio entre os participantes.

A Vencedora do Passatempo éééééééééééééé

Susana Sousa

(fica a foto do comentário e a do seu perfil)




Susana, tens a partir de hoje, 30 dias para enviares os teus dados para o mail do blogue
ligialeituras@gmail.com 


Parabéns e continuação de boas leituras!
Afinal este passatempo foi muito fácil, porque todos os participantes acertaram.
Mas vamos ao que realmente interessa...

Parabéns Fernanda Costa.
(Aqui está a foto que a Fernanda nos enviou, com o "nosso" querido Vasco a espalhar magia em mais uma prova de atletismo)


Este passatempo foi realizado com o apoio do CLUBE DO AUTOR.

O exemplar oferecido é este:



Weekend

READING TIME
*
Fim de semana...
Bom para descansar, carregar energias, organizar...
e claro
LER!!!


*Imagem retirada daqui
A história de pessoas que tentam apagar o seu passado...


Finalista Prémio da Academia sueca de Escritores de crime
(como melhor romance policial sueco).


Sinopse:
 Quando o alarme de uma casa dispara em Värmdö, uma ilha do arquipélago de Estocolmo, um guarda acode, temendo uma invasão. Mas o que encontra está longe de ser comum: um corpo não identificável, brutalmente assassinado. Para complicar ainda mais as coisas, depara-se com um jovem ferido perto da cena do crime — um homem que a Polícia considerará o principal suspeito.
Emelie Jansson, uma jovem e prometedora advogada, recém-admitida numa conhecida firma de advogados, assume o caso do jovem, apesar da discordância do seu chefe. A apoiá-la está Teddy, um ex-presidiário que tenta permanecer no lado certo da lei, trabalhando como investigador para a firma de advogados. Mas Teddy tem os seus próprios problemas — nomeadamente, o seu rebelde sobrinho, que está prestes a seguir os passos criminosos do tio.
Quem é a vítima do assassinato e quem é o assassino? E por que é que todos os caminhos parecem conduzir a Mats Emanuelsson, um homem que Teddy sequestrou em tempos? Enquanto Emelie investiga, Teddy deve confrontar-se com o passado e salvar o sobrinho de um destino problemático. Rapidamente, os três ficam presos num jogo arriscado que ameaça desfazer as suas vidas.


 Sobre o livro:
«Finalmente um thriller épico europeu à altura dos livros de Stieg Larson…»
James Ellroy

«Veloz e cheio de acção, este thriller obscuro e duro é ideal para aqueles que gostam de histórias de mistério viscerais.»
Library Journal

«Com destacadas frases de cortar a respiração, combinadas com um ritmo rápido e elegante, ao estilo da prosa crua e delicada de James Ellroy, Lapidus oferece uma intriga que o manterá colado às páginas.»
Politiken 


Autor:
Jens Lapidus, brilhante advogado criminalista em Estocolmo, serve-se da sua experiência profissional, que lhe oferece uma visão privilegiada, para escrever as histórias cruas e realistas que estão a conquistar o mundo. Autor comparado com James Ellroy pela crueza e realismo da sua prosa, os seus thrillers são aclamados pela crítica e pelo público nos mais de 20 países onde é publicado. Algumas das suas obras foram adaptadas para o cinema e os direitos de “Apagar Estocolmo” já foram também vendidos para o cinema.

Blogger Templates by Blog Forum